Endometriose

Doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, esse endométrio que aumentou descama e é expelido na menstruação. Em alguns casos, um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã da paciente sofrem com a doença.

É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece tardiamente.

Hoje, a doença afeta cerca de seis milhões de brasileiras. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e 30% tem chances de ficarem estéreis.

A endometriose afeta as mulheres causando diversos sintomas como dor pélvica, dismenorréia (dor na menstruação), dispareunia (dor na relação sexual), infertilidade e tem impacto significativo na qualidade de vida destas pacientes. Muitas destas mulheres sentem dores incapacitantes.

O diagnóstico pode ser feito por meio de exames de imagem como ultra-som com preparo intestinal, e ressonância magnética pélvica , mas o diagnóstico de certeza é a videolaparoscopia com biopsia das lesões.

O tratamento pode ser medicamentoso, cirúrgico ou ambos. O tratamento medicamentoso consiste em bloquear as menstruações ou baixar os picos hormonais, ja que é uma doença hormônio dependente. Ja a cirurgia é realizada para retirar todos os focos possíveis de endometriose e restaurar a anatomia normal da pelve. O tratamento é individualizado e depende dos sintomas da paciente e como a doença se manifesta.

Quando se trata de infertilidade associada à endometriose, muitas vezes a fertilização assistida (ou FIV) é realizada antes do tratamento cirúrgico, mas alguns casos necessitam de cirurgia para tratamento da endometriose antes de realizar a fertilização. O tratamento deve ser individualizado para cada paciente.

Dra. Carolina Haddad - Endometriose
Dra. Carolina Haddad CRM - 109.443
Ginecologia, Medicina Reprodutiva, Histeroscopia, Videolaparoscopia, Obstetrícia, Cirurgia Íntima, Laser Vaginal e Cirurgia Robótica.

Dúvidas? Preencha o formulário abaxio para entrar em contato